100 Mariners e 2 helicópteros Apache enviados para a embaixada americana em Bagdá 

U.S. Marines at Al Asad Air Base. Imagem ilustrativa por Cpl. Jered Stone/U.S. Marine Corps.

A princìpio, a embaixada americana não foi completamente invadida e tomada conforme as divulgações iniciais dos correspondentes estrangeiros em Baghdad e outros canais de midias; pois o complexo da embaixada se assemelha a um castelo, com diversas camadas de muros e com uma instalação tipo “bunker”, que não foi invadida pela multidão durante o ocorrrido.

Somente as àreas externas ao complexo foram tomadas e pequenas instalações como guaritas e garagens foram incendiadas no decorrer do dia.

Não foi divulgado pelos canais governamentais dos EUA exatamente quantos funcionarios da embaixada estão ainda no interior das àreas protegidas, mas teoricamente os que ainda estão no interior do complexo podem permanecer por algumas semanas, até que uma ação de resgate seja necessària. Também ainda não existem informações oficiais sobre como serão conduzidas as operações de retirada dos militantes extremistas do Hezbollah que ainda ocupam a àrea externa da embaixada.

O embaixador e outros altos funcionarios foram evacuados da embaixada bem antes, quando surgiram indicios mais sérios da possibilidade de invasão da embaixada.

Um destacamento de 100 fuzileiros navais vai reforçar a estrutura de segurança da embaixada dos EUA em Bagdá, no Iraque, confirmou o Comando Central dos EUA e o DoD – Department of Defense, através de comunicado do U.S. Secretary of Defense Esper, divulgado pelas redes sociais oficiais do Governo dos EUA.

Os fuzileiros foram solicitados pelo Departamento de Estado e aprovados pelas Forças de Segurança do Iraque, disse Mike Lawhorn, porta-voz do Comando Central, em um email na terça-feira pois jà existiam rumores da invasão da embaixada de maneira iminente. Dois helicópteros de ataque Apache também complementarão a segurança.

Depois que os manifestantes destruíram o portão principal do complexo, uma área de recepção na embaixada foi incendiada e membros do serviço americano foram vistos no telhado da embaixada contra atacando manifestantes que tentavam prosseguir invadindo as demais àreas do complexo, o que ocasionou um confronto sério que resultou em muitos feridos do lado dos invasotres, todos atingidos por munições não letais e bombas de efeito moral, segundo a Associated Press.

“O Departamento de Defesa está trabalhando em estreita colaboração com o Departamento de Estado para garantir a segurança de nossa embaixada e pessoal em Bagdá”, disse o secretário de Estado Mark Esper em comunicado à imprensa. “Adotamos ações apropriadas de proteção da força para garantir a segurança dos cidadãos americanos, militares e diplomatas no país e garantir nosso direito de legítima defesa”.

Embora as forças armadas americanas protejam a embaixada, também é responsabilidade do governo iraquiano intensificar e ajudar na sua proteção, disse Esper.

“Como em todos os países, contamos com as forças da nação anfitriã para ajudar na proteção de nosso pessoal no país, e pedimos ao governo do Iraque que cumpra suas responsabilidades internacionais de fazê-lo”, disse Esper.

  • Com informações do U.S. DoD – U.S. Department of Defense e Associated Press via redação Orbis Defense Europe.


Be the first to comment on "100 Mariners e 2 helicópteros Apache enviados para a embaixada americana em Bagdá "

Leave a comment

Your email address will not be published.


*