Espionagem, Traição & Covid 19? Alguns fatos sobre Dr. Charles Lieber e China

Circula nas redes sociais nas semanas recentes, um vídeo sobre a prisão do químico americano Dr. Charles Lieber,  preso em 28 de janeiro nos Estados Unidos, alegadamente após descobrirem que ele criou e vendeu o vírus corona, à China.  

Essa matéria não pretende cair na patética discussão se o vírus foi ou não criado em laboratório na China ou nos EUA, mas sim esclarecer ao pùblico um pouco os fatos investigados pelo FBI e outras autoridades dos EUA,  que levam ao que pode ser um dos maiores casos de espionagem cientìfica de nossos tempos, e que certamente poderá levar a uma futura elucidação de tudo o que ocorreu em Wuhan, no laboratório de pesquisas no qual inicialmente começou  a epidemia do Covid19 e outras suspeitas similares que rondam a maior epidemia dos tempos modernos..

O fato é que o Dr. Charles Lieber, que está livre desde a semana passada, depois de pagar uma fiança de US $ 1 milhão, mas ainda não entrou com um pedido de apelação contra as acusações feitas contra ele pelo Department of Justice/Office of Public Affairs dos EUA.

Apenas para se ter uma idéia do tamanho do caso, a acusação inicial,  a “Affidavit in Support of a Criminal Complaint and an Arrest Warrant”* (links no final da matéria), possui 36 pàginas descrevendo os fatos levantados até o mês de janeiro, quando se deu a prisão inicial do Dr. Charles Lieber.

Charles Lieber deixa o tribunal federal em Boston em 30 de janeiro, depois que ele foi acusado de mentir às autoridades federais por ajudar a China. (Reuters / Katherine Taylor)

A conclusão parcial das investigações mostra que Lieber foi um grande prêmio para o governo chinês, com base em um relatório escrito para a Comissão de Segurança EUA-China (USCC) em 2015; a participação do Dr. Lieber foi fundamentalmente estabelecida no Décimo Plano Quinquenal do governo chinês (2001-2005) incluiu o desenvolvimento da nanotecnologia, na qual a Lieber é líder mundial reconhecida, sob sua nova categoria de materiais e fabricação avançada.

Ao final, o caso  tratado   se centra sobre o Dr. Charles Lieber, professor da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos,  acusado no mês passado de mentir para autoridades americanas sobre suas ligações para o “Programa Mil Mil Talentos da China”, uma iniciativa apoiada pelo estado para oferecer financiamento a pesquisadores estrangeiros em trocar conhecimentos e assistência em tecnologias e questões críticas. O Dr. Lieber integrou oficialmente o programa Mil Talentos desde 2012, mas as suspeitas remontam pelo menos ao ano de 2005, junto com muitos outros cientistas e técnicos que também estão sob investigação.

Cientistas e engenheiros chineses, com o apoio comprovado do Partido Comunista Chinês (PCC), há muito tempo buscam a adoção da tecnologia moderna, criando e alavancando relacionamentos com atores estrangeiros que têm acesso ou são líderes-chave em seus campos.

Além dos elogios e reconhecimento dados pela China, Lieber parece também ter interessado em recompensas mais materiais por seu tempo e talentos, de acordo com a declaração do FBI, que inclui cópias do contrato assinado por Lieber, além de e-mails com seus manipuladores chineses. Em um e-mail, o funcionário chinês do WUT diz: “Quero saber como você prefere ser pago … Opção um. Ajudo você a abrir uma nova conta bancária no banco chinês … Opção Dois. Eu posso preparar o pagamento em dinheiro.

Aparentemente, esse arranjo proposto não tocou nenhum alarme para Lieber. Em fevereiro de 2014, a declaração do FBI mostra que, para uma viagem à China, Lieber solicitou “~ ½ do salário (para o período atual) em dólares dos EUA, com o restante depositado na conta bancária que estava configurada”.

https://twitter.com/FBIBoston/status/1222223642731450371

https://www.justice.gov/usao-ma/pr/harvard-university-professor-and-two-chinese-nationals-charged-three-separate-china

Um pouco sobre o trabalho do Dr. Charles Lieber

Lieber foi pioneiro em nanociência e nanotecnologia, onde originou novos paradigmas que definiram o crescimento racional, caracterização e aplicações originais de fios e heteroestruturas funcionais de diâmetro de nanômetros. Lieber forneceu conceitos seminais centrais ao paradigma ascendente da nanociência e foi líder na definição de direções e na demonstração de aplicações de nanomateriais em áreas que variam de eletrônica, computação e fotônica, além de ser pioneira na interface entre eletrônica e biologia e medicina, incluindo seu foco atual em ciências do cérebro.

Os prêmios acadêmicos e profissionais de Lieber são dezenas, segundo o seu currículo . O principal deles é o Wolf Prize in Chemistry de 2012, um prêmio considerado perdendo apenas para o Prêmio Nobel em prestígio e honra no campo da química.

“Com base nas pontuações de impacto de citações, Lieber foi classificado como o número 1 em Química na década de 2000-2010 pela Thomson Reuters”, acrescenta seu CV.

O plano nacional de médio a longo prazo da China para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia (2005-2020), conhecido como MLP, inclui o conceito de desenvolvimento “saltando para o futuro”.

“Pular nesse contexto significa pular para os níveis atuais de tecnologia sem ter que passar pelos estágios intermediários”, disse o relatório da USCC.

O currículo de Lieber, ainda carregado no site de Harvard, apesar dos relatos de que ele foi dispensado e não é permitido no campus, lista os mais de 400 trabalhos profissionais para os quais Lieber contribuiu e as mais de 50 patentes que levam seu nome. Na grande maioria dos documentos e patentes, Lieber parece ter colaborado e creditado a uma variedade de cientistas chineses, desde 1998.

Além disso, Lieber ainda està na lista como professor honorário em sete universidades chinesas e um instituto pertencente à Academia Chinesa de Ciências, o principal órgão da China orientando o desenvolvimento das ciências e da política científica na China. Não há outras professorias honorárias listadas por Lieber em nenhum outro lugar do mundo.

Sobre o caso

Charles  Lieber , o proeminente nanocientista e chefe do departamento de química e biologia química de Harvard, foi preso em 28 de janeiro desse ano . O Departamento de Justiça dos EUA divulgou uma queixa criminal (link no final da matéria) detalhando as irregularidades das quais Lieber  é acusado.

Alguns detalhes sobre  o caso de Lieber se destacam imediatamente. Primeiro, a denúncia contra ele alega que ele recebeu quantias impressionantes por sua colaboração com pesquisadores da China. Além de US $ 600.000 (seicentos mil dolares) em salário anual, ele estava ganhando cerca de US $ 150.000 em auxìlio de “despesas pessoais/custo de vida”, isso está deixando de lado os US $ 1,5 milhão que ele supostamente recebeu para ajudar a montar um laboratório na China.

Nominalmente e em termos de status, a situação financeira do Dr. Lieber, que é presidente de um departamento da Universidade de Harvard, està bem além do que ele poderia conseguir normalmente. O pagamento por alguém em sua posição certamente não é insignificante e, como a denúncia deixa claro,  Lieber  estava indo muito bem em buscar financiamento de fontes americanas. Ele havia recebido milhões em fundos federais dos EUA, incluindo “mais de US $ 15.000.000,00” em fundos de pesquisa dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA (NIH) e do Departamento de Defesa dos EUA.

O que seu caso sugere, no entanto, é a grande quantidade de esquemas diretamente ligados ao governo chinês, como o Programa de Mil Talentos, e também ligados à muitos pesquisadores de Harvard em uma rede gigantesca. O caso de Lieber pode muito bem se tornar um dos mais graves de seu tipo, mas a maior preocupação deve ser o que pressagia paraconexões com pesquisadores e acadêmicos menos bem-sucedidos, muitos dos quais também podem estar na vanguarda da pesquisa inovadora em uma variedade de pesquisas críticas de segurança nacional. 

Do que é conhecido publicamente até agora, o principal assunto pelo qual  Lieber  violou a lei é o fato de não revelar seu relacionamento com instituições baseadas na China, incluindo a Universidade de Tecnologia de Wuhan.

Lieber  não é o primeiro e não será o último a se envolver nesse tipo de problema. Por exemplo, Turab Lookman, ex-pesquisador do Laboratório Nacional Los Alamos, uma instalação do Departamento de Energia dos EUA que lida com, entre outras coisas, segredos de armas nucleares dos EUA, foi acusado em um caso semelhante, também por links para o Programa de Mil Talentos. Um pesquisador da Austrália foi acusado por motivos semelhantes no ano passado pelos promotores dos EUA também.

Casos como  Lieber  e Lookman, nenhum dos quais é de origem chinesa, podem ter o efeito de permitir que os promotores norte-americanos recuem nas alegações de que o perfil racial esteja formando grande parte da reação à espionagem econômica. Outros casos, como a demissão de três pesquisadores de oncologia ligados a   um instituto de pesquisa de câncer do Texas no ano passado, deram a aparência de escrutínio especializado para pesquisadores de origem chinesa.

O FBI deixou claro desde 2015 que vê o Programa dos Mil Talentos como parte da agenda mais ampla de espionagem econômica de Pequim, descrevendo-o como uma iniciativa que ajudará a China a “se beneficiar de anos de pesquisas científicas realizadas nos Estados Unidos. Unidos. ” Não é de surpreender que, em meio a um impulso mais amplo de contra-inteligência por parte das autoridades americanas nos últimos anos, vários promotores tenham criticado duramente vários indivíduos vinculados ao Programa de Milhares de Talentos.

Essas preocupações não irão evaporar da noite para o dia, especialmente porque as preocupações americanas com a competitividade econômica em relação à China provavelmente persistirão, mesmo se houver uma mudança na administração após as eleições de 2020.  Os casos de Lieber e Lookman sugerem que a falta de divulgação é um problema. (No caso de Lookman, a possível transferência de segredos classificados é outra.)

Lidar com o problema da divulgação exigirá que as instituições, incluindo universidades, estabeleçam regulamentos mais claros sobre como seus pesquisadores e professores tornam públicas suas fontes de financiamento. Fazer isso pode preservar os valores essenciais dessas instituições, como integridade e liberdade acadêmica, e evitar conflitos de interesse.

As parcerias e colaborações de pesquisa entre instituições americanas e chinesas não são, por si só, um perigo a ser evitado, mas as organizações e os indivíduos devem praticar a devida diligência e a divulgação adequada.

Tradução do documento do Department of Justice/Office of Public Affairs sobre o caso Dr. Charles Lieber

O Departamento de Justiça anunciou hoje que o presidente do Departamento de Química e Biologia Química da Universidade de Harvard e dois cidadãos chineses foram acusados ​​de ajudar a República Popular da China.  

Charles Lieber, 60 anos, presidente do Departamento de Química e Biologia Química da Universidade de Harvard, foi preso nesta manhã e acusado de queixa criminal por uma acusação de fazer uma declaração materialmente falsa, fictícia e fraudulenta. Lieber comparecerá esta tarde perante a magistrada Marianne B. Bowler no tribunal federal de Boston, Massachusetts.

Yanqing Ye, 29, cidadão chinês, foi acusado hoje de uma acusação de fraude de visto, fazendo declarações falsas, atuando como agente de um governo estrangeiros e conspiração. Ye está atualmente na China. 

Zaosong Zheng, 30, cidadão chinês, foi preso em 10 de dezembro de 2019, no Aeroporto Internacional Logan de Boston e acusado de queixa criminal por tentar contrabandear 21 frascos de pesquisa biológica para a China. Em 21 de janeiro de 2020, Zheng foi indiciado por uma quantidade de contrabando de mercadorias dos Estados Unidos e outra por fazer declarações falsas, fictícias ou fraudulentas. Ele está detido desde 30 de dezembro de 2019.

Dr. Charles Lieber

De acordo com documentos judiciais, desde 2008, o Dr. Lieber, que atuou como Pesquisador Principal do Grupo de Pesquisa Lieber na Universidade de Harvard, especializado na área de nanociência, recebeu mais de US $ 15.000.000 em financiamento dos Institutos Nacionais de Saúde ( NIH) e Departamento de Defesa (DOD). 

Essas doações exigem a divulgação de conflitos de interesses financeiros estrangeiros significativos, incluindo apoio financeiro de governos ou entidades estrangeiras. Sem o conhecimento da Universidade de Harvard, a partir de 2011, Lieber tornou-se um “Cientista Estratégico” na Universidade de Tecnologia de Wuhan (WUT) na China e foi um participante contratual no plano Milhares de Talentos da China, entre 2012 e 2017 ou entre 2012 e 2017. 

O plano Milhares de Talentos da China é um dos os mais proeminentes planos de recrutamento de talentos chineses projetados para atrair, recrutar, e cultivar talentos científicos de alto nível para promover o desenvolvimento científico da China, prosperidade econômica e segurança nacional. Esses programas de talentos buscam atrair talentos estrangeiros chineses e especialistas estrangeiros para trazer seus conhecimentos e experiências para a China e recompensar indivíduos por roubar informações e propriedades intelectuais. 

Sob os termos do contrato de três anos para o plano mil talentos da Lieber, a WUT pagava a Lieber US $ 50.000 por mês, despesas de até 1.000.000 de yuans chineses (aproximadamente US $ 158.000 na época) e concedeu a ele mais de US $ 1,5 milhão para estabelecer um laboratório de pesquisa na WUT . Em troca, Lieber foi obrigado a trabalhar para a WUT “não menos de nove meses por ano”, declarando projetos de cooperação internacional, cultivando jovens professores e doutorado. estudantes, organizando conferências internacionais,

A denúncia alega que, em 2018 e 2019, Lieber mentiu sobre seu envolvimento no Plano de Mil Talentos e sua afiliação à WUT. Por volta de 24 de abril de 2018, durante uma entrevista com os investigadores, Lieber afirmou que nunca foi convidado a participar do Programa de Mil Talentos, mas “não tinha certeza” de como a China o categorizava. 

Em novembro de 2018, o NIH perguntou a Harvard se Lieber havia falhado em divulgar sua então suspeita relação com o WUT e o Plano de Mil Talentos da China. Lieber fez Harvard falsamente dizer ao NIH que Lieber “não tinha associação formal com o WUT” após 2012, que “o WUT continuou a exagerar falsamente” seu envolvimento com o WUT nos anos subseqüentes, e que Lieber “não é e nunca participou de” Plano de mil talentos da China. 

Yanqing Ye

Segundo a acusação, Ye é tenente do Exército de Libertação Popular (PLA), as forças armadas da República Popular da China e membro do Partido Comunista Chinês (PCC). Em seu pedido de visto J-1, Ye se identificou falsamente como uma “estudante” e mentiu sobre seu serviço militar em andamento na Universidade Nacional de Tecnologia de Defesa (NUDT), uma academia militar de ponta dirigida pelo PCCh. 

Alega-se ainda que, enquanto estudava no Departamento de Física, Química e Engenharia Biomédica da Universidade de Boston (outubro) a abril de 2019, Ye continuou a trabalhar como tenente do PLA, completando inúmeras tarefas de oficiais do PLA, como a realização de pesquisas, a avaliação de forças militares dos EUA. sites e enviando documentos e informações dos EUA para a China.

De acordo com documentos do tribunal, em 20 de abril de 2019, oficiais federais entrevistaram Ye no Aeroporto Internacional Logan de Boston. Durante a entrevista, é alegado que Ye alegou falsamente que tinha contato mínimo com dois professores da NUDT que eram oficiais de alto escalão do PLA. No entanto, uma pesquisa nos dispositivos eletrônicos de Ye demonstrou que, sob a direção de um professor da NUDT, coronel do PLA, Ye havia acessado sites militares dos EUA, pesquisado projetos militares dos EUA e compilado informações para o PLA em dois cientistas americanos com experiência em robótica e Ciência da Computação. 

Além disso, durante a entrevista, uma revisão de uma conversa no WeChat revelou que Ye e o outro oficial do PLA da NUDT estavam colaborando em um trabalho de pesquisa sobre um modelo de avaliação de risco projetado para decifrar dados para aplicações militares. 

Zaosong Zheng

Em agosto de 2018, Zheng entrou nos Estados Unidos com um visto J-1 e realizou pesquisas com células cancerígenas no Beth Israel Deaconess Medical Center, em Boston, de 4 de setembro de 2018 a 9 de dezembro de 2019. Alega-se que em dezembro Em 9 de 2019, Zheng roubou 21 frascos de pesquisa biológica e tentou contrabandear para fora dos Estados Unidos a bordo de um voo destinado à China. 

Oficiais federais do Aeroporto de Logan descobriram os frascos escondidos em uma meia dentro de uma das bolsas de Zheng, e não foram devidamente embalados. Alega-se que, inicialmente, Zheng mentiu para os oficiais sobre o conteúdo de sua bagagem, mas depois admitiu que havia roubado os frascos de um laboratório em Beth Israel. 

Zheng afirmou que pretendia levar os frascos para a China para usá-los para realizar pesquisas em seu próprio laboratório e publicar os resultados em seu próprio nome.

A acusação de fazer declarações falsas, fictícias e fraudulentas prevê uma sentença de até cinco anos de prisão, três anos de libertação supervisionada e uma multa de US $ 250.000. A acusação de fraude de visto prevê uma sentença de até 10 anos de prisão, três anos de libertação supervisionada e uma multa de US $ 250.000. A acusação de atuar como agente de um governo estrangeiro prevê uma sentença de até 10 anos de prisão, três anos de libertação supervisionada e uma multa de US $ 250.000. 

A acusação de conspiração prevê uma sentença de até cinco anos de prisão, três anos de libertação supervisionada e uma multa de US $ 250.000. A acusação de contrabando de mercadorias dos Estados Unidos prevê uma sentença de até 10 anos de prisão, três anos de libertação supervisionada e uma multa de US $ 250.000.

Procurador-Geral Adjunto para Segurança Nacional John C. Demers, Procurador dos Estados Unidos Andrew E. Lelling; Agente Especial Responsável pela Divisão de Campo do FBI em Boston Joseph R. Bonavolonta; Michael Denning, Diretor de Operações de Campo, Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA, Escritório de Campo de Boston; Leigh-Alistair Barzey, agente especial encarregado do Serviço de Investigação Criminal de Defesa, Escritório de Campo do Nordeste; Philip Coyne, agente especial encarregado do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Escritório do Inspetor-Geral; e William Higgins, agente especial encarregado do Departamento de Comércio dos EUA, Escritório de Controle de Exportação, Boston Field Office, fez o anúncio. Procuradores-adjuntos dos EUA B. Stephanie Siegmann,

Os detalhes contidos nos documentos de cobrança são alegações. Presume-se que os réus são inocentes, a menos e até que se prove o contrário, além de uma dúvida razoável, em um tribunal.

Esses casos fazem parte da Iniciativa China do Departamento de Justiça, que reflete a prioridade estratégica de combater as ameaças à segurança nacional chinesa e reforça a estratégia geral de segurança nacional do Presidente. Além de identificar e processar os envolvidos em roubo de segredos comerciais, hackers e espionagem econômica, a iniciativa aumentará os esforços para proteger nossa infraestrutura crítica contra ameaças externas, incluindo investimento direto estrangeiro, ameaças à cadeia de suprimentos e os agentes estrangeiros que pretendem influenciar o público americano e formuladores de políticas sem registro adequado.

Fim.

Link para a pàgina do Department of Justice/Office of Public Affairs sobre o caso Dr. Charles Lieber:

https://www.justice.gov/opa/pr/harvard-university-professor-and-two-chinese-nationals-charged-three-separate-china-related

Link para a “Affidavit in Support of a Criminal Complaint and an Arrest Warrant” do caso Dr. Charles Lieber*:

https://www.justice.gov/opa/press-release/file/1239796/download

https://www.documentcloud.org/documents/6682562-Lieber-Charles-Indictment.html

https://www.documentcloud.org/documents/6682563-Ye-Yanqing-Indictment.html

https://www.documentcloud.org/documents/6682564-Zheng-Zaosong-Indictment.html

*A declaração de queixa é uma declaração alegando que uma pessoa cometeu um crime. Deve: (a) ser por escrito; (b) ser prestado juramento perante um magistrado ou um funcionário judicial neutro e destacado, autorizado pela Regra 4, para determinar a causa provável.

  • Com informações do U.S. Department of Justice/Office of Public Affairs, da matéria de Ankit Panda & Bonnie Girard para o The Diplomat, das matérias de Jenna McLaughlin para a Fox News, Sharon Weinberger, Jana Winter e Martin De Bourmont correspondentes para o Yahoo News USA, Tech StartUps News USA, The Washington Post & Sissi Zhou para o South China Morning Post via redação Orbis Defense Europe.

Outras referências:

http://cml.harvard.edu/people/charles-m-lieber

https://twitter.com/FBIBoston/status/1222223642731450371

https://www.justice.gov/usao-ma/pr/harvard-university-professor-and-two-chinese-nationals-charged-three-separate-china

https://thediplomat.com/2020/02/chinese-research-funding-economic-espionage-and-disclosure/

https://thediplomat.com/2020/01/harvards-chemistry-department-chair-arrested-for-lying-about-ties-to-chinas-thousand-talents-program/

https://www.boston25news.com/news/fbi-harvard-professor-2-chinese-nationals-arrested-separate-china-related-cases/4UWHV4V2YBCTTAJ2N5W7Q6FLK4/





Be the first to comment on "Espionagem, Traição & Covid 19? Alguns fatos sobre Dr. Charles Lieber e China"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*