EUA estão colapsando o tráfico de drogas de origem da Venezuela

A interceptação de submarinos do tráfico se tornou uma rotina desde o começo dos esforços da Guarda Costeira dos EUA na região. Na imagem, membros da Guarda Costeira dos EUA descarregam o contrabando de uma embarcação veloz de baixo perfil no Oceano Pacífico Oriental, 6 de maio de 2019. Foto de Sargento Jordan Thompson, USAF.
5.2kviews

Em 1o de abril, os EUA com suas agências interligadas com apoio das Forças Armadas, lançou uma operação antinarcóticos histórica para visar os traficantes de drogas e interromper o fluxo de drogas ilícitas para os Estados Unidos. Os narcotraficantes visados ​​incluem membros do regime ilegítimo e criminoso de Nicolás Maduro e do Cartel de los Soles (“Cartel dos Sóis”) na Venezuela entre outros.

O Presidente e sua equipe de segurança nacional não permitiriam que esses traficantes aproveitassem a pandemia do vírus Wuhan para lucrar com a transferência de drogas ilícitas para os Estados Unidos.

Uma parcela cada vez maior das drogas da América do Sul destinadas aos Estados Unidos agora transita livremente na Venezuela. O almirante Craig Faller, chefe do Comando Sul dos Estados Unidos, chamou o país de um “paraíso” para os traficantes de drogas.

Para reprimir os traficantes de drogas, o presidente enviou meios militares e policiais significativos para o Caribe e o Pacífico Oriental. O Comando Sul agora possui 16 navios e 19 aeronaves em combate. Essa onda de forças aumenta nossas aeronaves de vigilância e navios de patrulha em 60% e 78%, respectivamente.

A operação aprimorada é um esforço de “todo o governo”, reunindo recursos dos Departamentos de Defesa, Justiça e Segurança Interna, bem como da Guarda Costeira, Alfândega e Proteção de Fronteiras, Imigração e Fiscalização Aduaneira e Agência Antidrogas.

Desde o início da operação, os Estados Unidos aoreenderam mais de 84 toneladas de drogas entre cocaína e maconha. Mil suspeitos de tráfico de drogas foram presos; vários deles foram retirados de minissubmarinos construídos em cartéis. O sucesso dessa operação resultou em mais de US $ 3 bilhões em perda de receita para os cartéis e para o regime de Maduro .

Os Estados Unidos também solicitaram e receberam assistência de 22 nações parceiras, incluindo Colômbia, Equador, Honduras e El Salvador, países que sofrem gravemente com os cartéis e a influência maligna do regime de Maduro.

A grande maioria das drogas produzidas na Colômbia transita pela Venezuela, um negócio do qual os líderes militares do país se beneficiam (fonte: macpixxel para GIS)

Na Operação ORION V, uma operação paralela liderada pela Colômbia e apoiada pelos Estados Unidos, 50 toneladas de drogas ilícitas foram apreendidas e 72 laboratórios na Colômbia foram destruídos. No mês passado, os militares hondurenhos, armados e apoiados com inteligência dos EUA, apreenderam 800 quilos de cocaína carregados em um jato particular da Venezuela. Em 26 de julho, na Guatemala, o ICE and Homeland Security Investigations apreendeu mais de 2.100 kg de cocaína e um jato Gulfstream III da Venezuela.

Os Estados Unidos também continuarão sua campanha de pressão máxima até que o controle ilegítimo do regime corrupto de Maduro sobre a Venezuela seja rompido. Sob o domínio marxista de Maduro, a Venezuela, que já foi uma das cestas de frutas da região, se tornou um dos países mais pobres da América Latina e o terceiro país com maior insegurança alimentar do mundo, atrás do Afeganistão e do Iêmen.

A renda média diária de um venezuelano é de 72 centavos, o que não é suficiente para comprar comida diária. Essa pobreza opressora é o resultado de uma experiência socialista em um país que abriga uma das maiores reservas de petróleo do mundo, uma ironia cruel.

Para compensar esta calamidade humanitária, Maduro tem usado o tráfico de drogas como uma tábua de salvação financeira. As drogas ajudam a sustentar seu regime ilegítimo.

O presidente Trump está ao lado do presidente interino Juan Guaidó e do povo venezuelano. Quase 60 países também reconhecem Guaidó, enquanto China, Rússia, Cuba e Irã continuam a apoiar a repressão de Maduro ao povo venezuelano.

Para ajudar o povo da Venezuela, os Estados Unidos forneceram mais de US $ 856 milhões em ajuda humanitária e de desenvolvimento, incluindo quase US $ 611 milhões em assistência humanitária, para venezuelanos que sofrem dentro da Venezuela e outros refugiados em 16 países vizinhos.

Essa luta continuará durante a pandemia, e o governo continuará pressionando ao máximo um dos maiores facilitadores do tráfico de drogas – a Venezuela de Maduro.

Simplificando, o presidente Trump e os Estados Unidos não tolerarão uma zona segura para as drogas em nosso hemisfério.

  • Com texto adaptado de Robert O’Brien, conselheiro de segurança nacional do presidente Trump em matéria para o New York Post via redação Orbis Defense Europe.




Be the first to comment on "EUA estão colapsando o tráfico de drogas de origem da Venezuela"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*