Exército suíço perdeu 70 armas em 2020

Os reputados fuzis SIG 550 na versão standart e "Commando" são as armas mais listadas nas ocorrências de extravio diversos. Imagem ilustrativa com foto de Yam Wanders.

O Exército Suíço confirmou na terça-feira que pelo menos 70 armas entre rifles de assalto modelo SIG 550 e pistolas desapareceram no ano passado. Armas do Exército Suíço desaparecem todos os anos em quantidades variáveis, mas não a ponto de causar problemas graves.

De acordo com o jornal BlickLink externo, 70 armas do exército foram dadas como desaparecidas no ano passado, incluindo 57 rifles de assalto. Destes, 54 foram roubados e um foi destruído em um incêndio residencial. As 15 armas restantes não foram mais encontradas.

O porta-voz do Exército Stefan Hofer confirmou o relatório de segunda-feira à agência de notícias suíça Keystone-SDA. Extra-oficalmente, membros do serviço reservado do Exército Suíço comentam que as armas desaparecidas que são recuperadas geralmente continuam em posse dos reservistas, que por motivos de colecionismo ou cleptomania de oportunidade, relutam em devolver as armas ao Exército.

Entre os anos de 1969 à 2021, um total de 5.519 armas do exército foram relatadas como desaparecidas, sendo que, 418 foram recuperadas posteriormente. Até o momento, nenhuma arma extraviada foi posteriormente encontrada nas mãos de criminosos ou terroristas.

No ano passado, reapareceram 22 armas perdidas, sendo a grande maioria devolvida ao exército pela polícia, que as encontrou durante as operações diversas. O resto foi entregue por civis.

O número de 2020 foi menor do que nos últimos anos, que testemunhou uma tendência de crescimento constante: 69 ausentes em 2016, 85 em 2017, 107 em 2018 e 102 em 2019.

Em 2017, o exército lançou uma campanha de conscientização sobre o assunto de armas perdidas.

A perda de uma arma tem consequências de gravidade variável para os membros do exército. Isso pode variar de punição disciplinar a três anos de prisão. Os soldados que perdem suas armas são sancionados pelo código militar suíço, que inclui multas pesadas. Se o rifle foi perdido em um caso comprovado de roubo/furto doméstico, o seguro doméstico deve cobrir o prejuízo.

O exército suíço perdeu mais de 100 armas de fogo em 2019

Um total de 102 armas de fogo do exército suíço foram consideradas extraviadas no ano de 2019. Entre eles estavam 81 fuzis de assalto. As outras armas que faltavam eram pistolas.

Em 2018 foi o pico maior, com 107 armas que foram declaradas desaparecidas. Em 2017, o exército lançou uma campanha de conscientização sobre o assunto de armas perdidas. Desde então, embora mais armas perdidas tenham ressurgido, mais perdas foram relatadas em inventários e outras constatações.

Tradição

Todos os suíços aptos devem cumprir o serviço militar e ter a opção de guardar seu rifle do exército ou outras armas em casa. Esta é uma tradição de longa data do exército suíço, que deveria estar pronto para um chamado às armas em tempos de crise.

O rifle do exército deve ser mantido em um local à prova de roubo e qualquer roubo deve ser relatado imediatamente, mas as armas perdidas geralmente são relatadas apenas quando o soldado faz um exercício militar ou quando deixa o exército e não consegue encontrar sua arma devido à situações relapsas.

A Suíça tem uma das maiores taxas de posse de armas do mundo, por causa de seu exército baseado em estrutura de milícia. O Ministério da Defesa estima que mais de dois milhões de armas da categoria de fuzis de assalto e similares estão em mãos de cidadãos, para uma população de 8,6 milhões.

  • Com informações do Swiss Army (Exército Suíço), Keystone-SDA e swissinfo.ch, via redação Orbis Defense Europe.





Be the first to comment on "Exército suíço perdeu 70 armas em 2020"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*