Greve geral na França tem grande participação da Policia, Bombeiros e reservistas

Imagens dos muitos protestos pela França no dia da Greve Geral de 5 de dezembro e dos protestos de Policiais, Bombeiros e Reservistas. Imagens via AFP.

De acordo com uma estimativa inicial do Ministério do Interior, 700.000 pessoas se manifestaram na França nesta quinta-feira. A CGT e outras fontes sindicais estimam mais de 1,5 milhão de pessoas.

A manifestação de quinta-feira contra a reforma previdenciária e também contra o governo Macron reuniu, em Paris, de acordo com a CGT, mais de 250.000 pessoas protestaram contra as medidas do governo que estão estagnando a vida da população entre outros problemas sociais.

Diversos setores participaram da maior mobilização grevista de todos os tempos na França: desde ferroviários, professores, estudantes, advogados, pessoal médico/hospitalar e até mesmo policiais e bombeiros e muitos reservistas das forças armadas!

De acordo com informações dos sindicatos de policia da França, pelo menos metade das forças policiais participaram da greve e de protestos junto com a população de maneira discreta . Manifestações também foram planejadas em todo o país e reuniram mais de 500.000 pessoas em algumas cidades como Paris e Lyon.

Ao todo em Paris, pelo menos 6.000 policiais e gendarmes (policiais militares) foram mobilizados o dia todo, assistidos por drones e câmeras móveis; que é considerado o contingente mais baixo empenhado para tal evento desde o começo das manifestações dos coletes amarelos em novembro de 2018!

Especula-se que isso se deve à grande participação dos sindicatos de policias, bombeiros e reservistas das forças armadas em solidariedade aos movimento grevista. Também foi muito baixo o nùmero de detenções e prisões por toda a França em comparação com os demais protestos dos coletes amarelos.

250 grandes protestos em toda a França

Como é frequente no caso, as estimativas de publico avaliada pelas prefeituras às vezes diferem amplamente. Em Marselha, a CGT anunciou 150.000 manifestantes, seis vezes mais do que a estimativa da polícia. Os números, mesmo de uma fonte policial, são altos, mesmo em cidades pequenas. Um total de 250 eventos foram planejados em toda a França.
Essa greve resultou em um grande número de escolas fechadas, mas também em grandes interrupções no transporte. Onze linhas de metrô estão fechadas na rede RATP , mais de 90% dos trens da SNCF são cancelados e centenas de voos são cancelados na Air France e EasyJet.

De acordo com a empresa independente Occurrence para várias mídias, incluindo a RTL, 40.500 pessoas se manifestaram nesta quinta-feira em Paris. Segundo a CGT, 250.000 pessoas estão se manifestando em Paris às 18h dessa quinta- feira.

Diante da escala da disputa, o governo permanece calmo . Nenhuma célula de crise para a ocasião, nenhum dispositivo em particular , garante um conselheiro do presidente. O chefe de estado mostra sua “calma” e sua “determinação” . É o vocabulário escolhido pela comitiva de Emmanuel Macron que deixa seu primeiro-ministro em manobra.

Em sua ultima estimativa oficial, 7orgãos do governo admitiram a cifra de mais de 510.000 manifestantes em cerca de 70 cidades da França , segundo contagens transmitidas pela polícia ou prefeituras.

Os franceses não confiam no governo

“Existem duas condições para realizar esse projeto: um mínimo de consenso sobre os méritos dessa convulsão e confiança no governo. Nenhuma dessas condições foi atendida “, disse Bernard Thibault, ex-líder da CGT, líder da ferrovia há 24 anos. Para ele, “o descontentamento social é mais forte do que em 1995” .

As exigencias dos movimento popular dos Coletes Amarelos e dos grevistas sindicalizados da França vai muito além de simples revisões das politicas salariais e de aposentadorias, sendo elas;

  • Zero sem-teto: URGENTE.
  • Imposto de renda mais progressivo (mais fatias).
  • SMIC a 1300 euros líquidos.
  • Favorecer o pequeno começo das aldeias e centros das cidades. (Interrompa a construção de grandes áreas comerciais em torno das grandes cidades que matam as pequenas empresas) + estacionamento gratuito nos centros das cidades.
  • Plano de isolamento de grandes habitações. (faça ecologia salvando famílias).
  • Que o atacado (Macdo, google, Amazon, Carrefour …) pague GRANDE e que os pequenos (artesãos, TPE PME) paguem pequeno.
  • O mesmo sistema de seguridade social para todos (incluindo artesãos e autoempresários). Fim do RSI.
  • O sistema de pensões deve permanecer em solidariedade e, portanto, socializado. (Nenhum ponto de aposentadoria).
  • Fim do aumento dos impostos sobre combustível.
  • Sem aposentadoria abaixo de 1.200 euros.
  • Qualquer representante eleito terá direito ao salário médio. Seus custos de transporte serão monitorados e reembolsados, se justificados.
  • Direito ao ingresso para o restaurante e ao voucher de férias.
  • Os salários de todo o povo francês, bem como as pensões e subsídios devem ser indexados à inflação.
  • Protegendo a indústria francesa: proibindo a realocação. Proteger nossa indústria é proteger nosso know-how e nossos empregos.
  • Fim do trabalho desanexado. É anormal que uma pessoa que trabalha em território francês não se beneficie do mesmo salário e dos mesmos direitos. Qualquer pessoa autorizada a trabalhar em território francês deve estar em pé de igualdade com um cidadão francês e seu empregador deve contribuir no mesmo nível que um empregador francês.
  • Para segurança no emprego: limite ainda mais o número de contratos a termo para grandes empresas. Queremos mais CDI.
  • Fim da CICE. Use esse dinheiro para o lançamento de uma indústria francesa de carros a hidrogênio (que é verdadeiramente ecológica, diferente do carro elétrico).
  • Fim da política de austeridade. Estamos deixando de pagar os juros da dívida declarada ilegítima e estamos começando a pagar a dívida sem receber o dinheiro dos pobres e dos menos pobres, mas buscando os US $ 80 bilhões em evasão fiscal.
  • Que as causas da migração forçada são tratadas.
  • Que os requerentes de asilo sejam bem tratados. Devemos a eles moradia, segurança, alimentação e educação para menores. Trabalhe com a ONU para abrir campos de acolhimento em muitos países ao redor do mundo, enquanto se aguarda o resultado do pedido de asilo.
  • Que os requerentes de asilo vencidos sejam devolvidos ao seu país de origem.
  • Que uma política de integração real seja implementada. Viver na França significa tornar-se francês (curso de francês, curso de História da França e curso de educação cívica com certificação no final do curso).
  • Salário máximo fixado em 15.000 euros.
  • Que empregos são criados para os desempregados.
  • Aumento de licenças para deficientes.
  • Limitação de aluguéis. + aluguel moderado de moradia (especialmente para estudantes e trabalhadores precários).
  • Proibição de vender imóveis pertencentes à França (barragem do aeroporto …)
  • Meios substanciais concedidos ao sistema de justiça, à polícia, à gendarmeria e ao exército. Que as horas extras da polícia sejam pagas ou recuperadas.
  • Todo o dinheiro ganho pelas portagens das auto-estradas será utilizado para a manutenção de auto-estradas e estradas em França, bem como para a segurança rodoviária.
  • Como o preço do gás e da eletricidade aumentou desde a privatização, queremos que eles se tornem públicos novamente e que os preços caiam significativamente.
  • Fechamento imediato de pequenas filas, correios, escolas e maternidades.
  • Vamos trazer bem-estar aos nossos idosos. Proibição de ganhar dinheiro com idosos. O ouro cinza está acabado. A era do bem-estar cinza começa.
  • Máximo de 25 alunos por turma, do jardim de infância ao 12º ano.
  • Recursos substanciais trazidos à psiquiatria.
  • O Referendo Popular deve entrar na Constituição. Criação de um site legível e eficaz, supervisionado por um órgão de controle independente, onde as pessoas possam fazer uma proposta de lei. Se este projeto de lei obtiver 700.000 assinaturas, ele deverá ser discutido, concluído, alterado pela Assembléia Nacional que terá a obrigação (um ano após a obtenção das 700.000 assinaturas) de enviá-lo. ao voto de todos os franceses.
  • Voltar a um mandato de 7 anos para o Presidente da República. (A eleição dos deputados dois anos após a eleição do Presidente da República permitiu enviar ao Presidente da República um sinal positivo ou negativo a respeito de sua política, o que ajudou a fazer ouvir a voz do povo.)
  • Aposentadoria aos 60 anos e para todos aqueles que trabalharam em uma profissão usando o corpo (pedreiro ou desossador, por exemplo), direito à aposentadoria aos 55 anos.
  • Uma criança de 6 anos não se mantém sozinha, continuação do sistema de ajuda do PAJEMPLOI até os 10 anos de idade.
    Promover o transporte ferroviário de mercadorias.
  • Sem retenção de imposto.
  • Fim dos subsídios presidenciais vitalícios.
  • Proibir o pagamento de impostos aos comerciantes quando seus clientes usarem o cartão de crédito. – Imposto sobre óleo combustível marinho e querosene.
  • Com informações France Inter, TF1, France 3, RTL France, L’express, Le Figaro, France Ouest, France Lest, Radio France Inter via redação Orbis Defense Europe.


Be the first to comment on "Greve geral na França tem grande participação da Policia, Bombeiros e reservistas"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*