John Bolton afirma que Brasil tem de se proteger da Huawei

O ex-assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos John Bolton avisou ontem que a tecnologia de 5G oferecida pela chinesa Huawei ao Brasil tem de ser motivo para preocupação. Na semana passada, a empresa foi banida do Reino Unido. E, portanto, países da União Europeia sinalizam que farão o mesmo.

Para Bolton, o presidente Jair Bolsonaro precisa cuidar de seus próprios interesses nacionais ao lidar com a questão. “Os EUA só perceberam a ameaça da Huawei mais tarde. Assim sendo, é um exemplo de um problema mundial. E penso que temos todos que nos preocupar”, “Vimos a China roubar dados de bancos e empresas. Eles podem usar isso como vantagem comercial ou até mesmo como uma chantagem”; afirmou em entrevista à CNN Brasil.

O ex-assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos John Bolton avalia que a tecnologia de 5G oferecida pela empresa chinesa Huawei ao Brasil deve ser fonte de preocupação para o país e o governo do Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem de cuidar de seus próprios interesses nacionais ao lidar com a questão.

Lançando o livro “The Room where it happened” ( A sala onde aconteceu, em tradução livre), ele falou com a CNN sobre seu período na Casa Branca, a relação dos EUA com Brasil e as crises na Venezuela, Irã e Coreia do Norte.

A seguir, a transcrição de parte da entrevista:

Reporter: Vamos começar falando sobre o que aconteceu hoje, com os Estados Unidos fechando o consulado chinês em Houston e a China respondendo que irá retaliar. Como o senhor acha que isso pode escalar? Estamos próximos de uma guerra entre a China e os Estados Unidos?

John Bolton: Bem, creio que estamos longe de qualquer hostilidade militar, mas o que passamos a ver cada vez mais nos Estados Unidos, e acredito que seja uma visão compartilhada por cada vez mais países do mundo, é que a China é um governo, um sistema, que não gosta de se adequar a normas de comportamento internacionais. Seja na esfera econômica, seja nas esferas política e militar.

Existem muitas reclamações sobre uma série de comportamentos: de estarem buscando políticas externas mercantilistas na Organização Mundial do Comércio, investindo em um aumento da capacidade militar em termos nucleares – de mísseis balísticos e no ciberespaço -, fazendo cobranças territoriais extraordinárias no mares do leste e sudeste da China, e militarizando algumas de suas empresas comerciais , como a Huawei e a ZTE.

Creio que a declaração de nosso governo sobre o fechamento do consulado em Houston, para proteger nossas informações comerciais, já diz muito sobre o que o consulado chinês estava fazendo.

Não duvido que eles responderão. Mas creio que é algo que, do ponto de vista dos EUA, precisamos consultar todos os outros parceiros comerciais da China e outros que podem ser afetados por ela porque, apesar de sermos a liderança, todos podem ser afetados também. Creio que esta é uma preocupação em comum no mundo todo.

5G, Huawei e Brasil

Reporter: Se o senhor fosse o assessor de segurança nacional do Presidente Bolsonaro, o senhor aconselharia o presidente ceder às pressões do presidente Trump para banir a Huawei?

John Bolton: Bem, eu não diria ceder às pressões, porque obviamente o Brasil tem que cuidar de seus próprios interesses nacionais. Mas é útil saber que, nos últimos dias, o Reino Unido mudou completamente sua política, revertendo a posição que estava mantendo enquanto eu estava na Casa Branca, quando achava que podia conter os perigos e ameaças da Huawei. Mas agora eles deram uma virada de 180 graus e foram para a outra direção.

Na verdade, os Estados Unidos só perceberam a ameaça da Huawei mais tarde, foram a Austrália e a Nova Zelândia que chamaram nossa atenção. Assim, esse é um exemplo de um problema mundial, e acho que temos todos que nos preocupar.

Reporter: Mas essas são todas nações da aliança de inteligência “Five Eyes”. O que o Brasil poderia ganhar com uma aliança estratégica, aliança militar, que os Estados Unidos poderiam oferecer em troca de banir a Huawei?

John Bolton: Acho que se trata mais do Brasil proteger sua propriedade intelectual. Essa não é somente uma preocupação dos sistemas de tecnologia da informação no mundo da inteligência, mas sim sobre os sistemas de telecomunicação que todos nós usamos, que as empresas usam, onde vimos a China roubar dados e arquivos de bancos, grandes empresas.

E eles podem usar isso como vantagem comercial ou até mesmo abertamente como uma chantagem.

Reporter: Voltando àquele café da manhã agradável com o presidente Bolsonaro. Quais foram suas impressões? Quais eram as expectativas em relação ao EUA, na sua opinião?

John Bolton: Foi minha primeira oportunidade com ele. Ele era presidente eleito na época. Eu só quis sentir se podíamos lançar as bases para relações mais próximas entre Brasil e EUA. Ele estava inclinado nesse sentido e foi muito sincero nesse ponto.

Eu o achei agradável, muito fácil de se lidar, de conversar sobre temas complexos, muito bem informado.Acho que ele trouxe um olhar novo para as relações Brasil/EUA, muito bem-vindo por nós.

Espero que pelo restante do governo Trump – e o que vier após eleições – o trabalho do Brasil e dos EUA para fechar algumas lacunas possa continuar.

Com texto adaptados de Cristyan Costa para a Revista Oeste e Lourival Sant’Anna para a CNN

Link das matérias originais:

https://revistaoeste.com/brasil-tem-de-se-proteger-da-huawei-alerta-john-bolton/?

https://www.cnnbrasil.com.br/internacional/2020/07/22/brasil-tem-de-se-proteger-com-chegada-do-5g-diz-john-bolton-a-cnn





Be the first to comment on "John Bolton afirma que Brasil tem de se proteger da Huawei"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*