Marine Nationale comemora o centenário de sua primeira apontagem embarcada

O porta-aviões Charles de Gaulle, navegando ao largo do Mar Mediterrâneo. Imagem via Marine Nationale/Aéronavale.

Nesse dia 20 de outubro, a Marine Nationale (Marinha Francesa) e sua Aéronavale (Aviação Naval) comemoram os 100 anos da sua primeira operação aérea embarcada, quando realizaram o primeiro pouso em uma embarcação considerada como um porta-aviões na França, no ano de 1920, feito pelo Tenente Paul Teste em uma aeronave Hanriot HD 2.

Hoje foi realizada uma cerimônia comemorativa à bordo do porta-aviões Charles de Gaulle, navegando ao largo do Mar Mediterrâneo, acompanhado de seu grupo de combate e efetuando o lançamento de aeronaves Dassault Rafale com pintura comemorativa.

A Marine Nationale é uma das pioneiras mundiais no desenvolvimento das operações aéreas embarcadas e da construção de porta-aviões, disputando com o Reino Unido, EUA, Itália e Japão a construção de navios aeródromos nos anos 20 do século XX.

Fotos dos Dassault Rafale da Marine Nationale por Bastien Otelli divulgadas pela Marine Nationale.

Mesmo com o evidente pioneirismo britânico, americano e japonês, ainda assim os franceses foram responsáveis pelos desenvolvimento de importantes aperfeiçoamentos técnicos e operacionais, que ajudaram no desenvolvimento das operações embarcadas, e, do desenvolvimento dos porta-aviões modernos que, iriam participar dos inúmeros teatros operacionais da 2a Guerra Mundial, apesar da Marinha Francesa praticamente pouco participar da guerra naval.

Durante a 1a Guerra Mundial a Marinha Francesa foi a que mais amargou perdas de hidroaviões em combates e por acidentes diversos, o que na época foi o grande motivo para considerar o desenvolvimento do emprego de aeronaves convencionais operando à partir de uma plataforma embarcada, e, que consequentemente conseguiriam maiores vantagens sobre aeronaves com flutuadores (pesadas e menos manobráveis) e balões dirigíveis nas operações de guerra naval.

Fotos dos Dassault Rafale da Marine Nationale por Bastien Otelli divulgadas pela Marine Nationale.

O Tenente Paul Marcel Teste e seu pioneirismo aeronaval

Ingressando na Marinha francesa aos 17 anos, Paul Teste demonstrou desde o início um forte interesse pela aeronáutica, então em pleno desenvolvimento com a intensificação da guerra submarina.

Depois de servir como observador na base de Dunquerque, equipada com hidroaviões, ele fazia parte de uma patrulha de guerra anti-submarina de 4 hidroaviões e foi capturado em 1917 depois que seu esquadrão foi atacado por combatentes alemães e ele foi obrigado a efetuar um pouso forçado e então capturado.

Depois de escapar e se juntar às linhas francesas, Paul Teste tira dessa experiência a seguinte conclusão: o hidroavião não pode competir com o avião “sobre rodas”, que é mais leve, mais rápido e mais manobrável. Com base nos testes britânicos em seus porta-aviões Argus e Furious, ele pretende demonstrar a possibilidade de aviões operarem em plataformas móveis.

O Tenente Paul Teste embarcado no Aviso Bapeume. Imagem via http://ecole.nav.traditions.free.fr/

Fez várias decolagens com sucesso do Aviso Bapaume e então, apoiado por jovens aviadores, obteve autorização para fazer testes no casco do encouraçado Béarn, que já estava sendo transformado em porta-aviões.

Sendo o Béarn um porta-aviões real, ele se beneficia de uma pista mais longa que permite pousar, e assim liberta a aeronáutica naval de sua dependência de bases terrestres.

O Tenente Paul Teste e sua equipe do Aviso Bapeume. Imagem via http://ecole.nav.traditions.free.fr/

Assim, em 20 de outubro de 1920, o tenente Paul Teste decolou da base Palyvestre aos comandos de um monoposto Hanriot, chegando acima do porto de Toulon. Após avistar o casco do Béarn, ele fez um pouso perfeito e entrou para a história da aeronáutica naval!

Fiéis ao legado de Paul Teste, os nossos pilotos Rafale Marine e Hawkeye continuam guiados por essa coragem e determinação!

Sobre o Aviso Bapaume, a embarcação pioneira

O Bapaume é uma chalupa da classe Arras e considerado o primeiro porta-aviões francês, lançado em agosto de 1918 , atuante na marinha francesa de 1920 a 1936 , e demolido em 1937.

Os navios Aviso tem uma silhueta semelhante à de um cargueiro. Trata-se de atrair as tripulações dos submarinos, à maneira dos navios-Q britânicos , barcos- armadilha camuflados de navios mercantes. A ponte de navegação é colocada no centro e envolve a chaminé.

A embarcação é movida por duas turbinas de engrenagem Parsons / Breguet de 5.000 CV , alimentadas por duas caldeiras a óleo . Este conjunto permite a navegação a uma velocidade máxima de 20 nós, com alcance de 3.000 milhas náuticas a 11 nós.

Imagem via http://ecole.nav.traditions.free.fr/

O armamento consiste em dois canhões Modelo 1910 de 138 mm , um canhão de 75 mm e quatro metralhadoras antiaéreas de 8 mm .

Logo após sua entrada em serviço em 1920 , o Bapaume foi transformado em grande parte de sua estrutura, torna-se o primeiro porta-aviões da marinha francesa e que serviu como uma escola e plataforma de ensaios de vôos, enquanto se aguarda a transformação do encouraçado Béarn em navio aeródromo puro.

Essa modificação é obtida pelo oficial naval Paul Teste , pioneiro da aviação embarcada francesa.

Rara imagem da primeira decolagem do Tenente Paul Teste com seu avião Hanriot HD 2 à partir da plataforma instalada no Aviso Bapaume. Imagem via http://ecole.nav.traditions.free.fr/

Uma plataforma de madeira é colocada na parte frontal do navio, permitindo o transporte de um único avião. Tem oito metros, setenta e vinte metros de comprimento. Essa estrutura serve como pista de decolagem , em uma distância que varia de quinze a dezoito metros dependendo do tipo de aeronave.

Paul Teste e os pilotos do AC 1 esquadrão de caças da aviação naval decolaram a partir desta plataforma 5 de março 1920 , com o avião Hanriot HD 2 desequipado de muitos acessórios para se tornar mais leve, os aviões Nieuport 21/23 e Nieuport- Delage NiD.32 3 também foram empregados em treinamentos de decolagem de pilotos que ocorreram até junho de 1924 neste navio.

O Aviso foi equipado em 1923 com um detector ultrassônico, considerado o equipamento percurssor dos modernos sonares.

O Aviso Bapaume cessou suas atividades aeronáuticas em 1924. Depois de 1925, realizou uma série de observações hidrológicas regulares na costa de Ouessant, à serviço do Office Scientifique et Technique des Pêches Maritimes.

O Aviso Bapaume foi retirado de serviço em 1936 e desmontado em 1937.

  • Com informações da Marine Nationae (Marinha Francesa) & Aeronavale (Aviação Naval da Marinha Francesa) via redação Orbis Defense Europe.




Be the first to comment on "Marine Nationale comemora o centenário de sua primeira apontagem embarcada"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*