Turquia recruta sírios para lutar na Líbia com promessa de pagamento de US$1,500.00 mensais + cidadania turca

Considerados indiciplinados, inaptos à atividade militar e de baixa intrução, os combatentes sírios engajados nas lutas contra o Exército Arabe Sírio e as forças da Russia sofrem sempre pesadas baixas. Partir para o combate na Líbia é um grande interesse para uma guerra de desgaste contra os opositores da Líbia antes de enviar as tropas regulares turcas ao campo de batalha Libio. Imagem ilustrativa via STF Analysis & Intelligence.

A Turquia está pagando salários mais altos aos militantes sírios que vão lutar na Líbia. Essa foi a constatação da jornalista Elizabeth Tsurkov, em um trabalho jornalistico investigativo do Instituto de Pesquisa em Política Externa (The Foreign Policy Research Institute).

Segundo ela, combatentes dos grupos militantes sírios apoiados pela Turquia recebiam aproximadamente US $ 50 por mês na Síria, que é considerado dentro da média para aquela região e realidade, mas o salário prometido na Líbia seria de US $ 1.500 por mês, o que para os padrões sirios é um pagamento de sonhos! Para efeito de comparação, um soldado da Legião Estrangeira e um PMC  em inicio de carreira não ganham mais de US$1,250.00  mensais!

Além disso, os combatentes recebem a promessa de receber cidadania turca entre seis meses a um ano de engajamento de luta na Líbia.

Entretanto, a maior motivação entre os “voluntarios sírios” que combatiam pelos grupos anti-Assad e até mesmo do ISIS é conseguir migrar para a Europa, pois com o reforço dos bloqueios navais italianos, que não mais recolhem os ditos “refugiados” em alto mar, a imigração tem se tornado mais dificil e mais cara aos pretensos fugitivos de zonas de conflito do Oriente Médio.

Porém o que não é divulgado com clareza aos militantes sírios que combatem contra as forças de Bashar-el- Assad na Siria é a condição de como esse pagamento serà feito e onde o dinheiro serà depositado para posterior usufruto. Existem denùncias que ex-militantes sírios que lutaram contra as forças de Assad e dos EUA na Siria foram presos ao cobrar seus pagamentos aos oficiais de ligação turco e outros funcionarios governamentais envolvidos.

Para a Turquia, reutilizar esse contingente humano na Líbia é aparentemente uma aposta melhor que empregar suas tropas nacionais em um territorio distânte. Pois também é evidente que o teatro de operações na Síria é cada vez mais incerto com os avanços do Exército Àrabe Sìrio (Forças de Assad) com o apoio da Russia contra os efetivos rebeldes e do ISIS que ainda restal na região.

Sobre Elizabeth Tsurkov

Elizabeth Tsurkov é de origem judaico-ucraniana vivendo atualmente nos EUA, é bolsista no Programa para o Oriente Médio do Foreign Policy Research Institute, com foco no Levante. Ela também é doutoranda em ciências políticas na Universidade de Princeton.

Sua pesquisa é baseada principalmente em uma grande rede de contatos que ela cultivou no Oriente Médio e particularmente na Síria, bem como em trabalhos de campo em toda a região. Ela também é bolsista de pesquisa no Forum for Regional Thinking, um think tank progressivo israelense-palestino com sede em Jerusalém.

Elizabeth trabalhou como consultora do International Crisis Group, do Atlantic Council e do Europan Institute for Peace, entre outros lugares. Ela tem mais de uma década de experiência trabalhando com organizações de direitos humanos no Oriente Médio na defesa dos direitos de refugiados, migrantes, trabalhadores, palestinos, bem como minorias étnicas e religiosas.

Seu trabalho foi publicado no New York Times, na Foreign Policy Magazine, na New York Review of Books, no Haaretz, na War on the Rocks, na New Republic, na New Humanitarian, entre outros meios de comunicação. Ela é proficiente em hebraico, russo, vários dialetos árabes e árabe padrão moderno.

  • Com informações do STF Analysis & Intelligence via redação Orbis Defense Europe.


Be the first to comment on "Turquia recruta sírios para lutar na Líbia com promessa de pagamento de US$1,500.00 mensais + cidadania turca"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*