União Europeia envia reforços operacionais para fronteira da Grécia

A FRONTEX conta inclusive com o apoio de Marinhas Nacionais de diversos paìses da UE. Imagem de uma abordagem em algum lugar do Mediterrâneo via FRONTEX.

A Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (Frontex) está enviando reforços adicionais à Grécia. Trata-se de sete navios, dois helicópteros, um avião, veículos e 100 guardas extras de fronteira. A Grécia também está recebendo 700 milhões de euros em assistência financeira e equipamentos médicos.

Os dois diretores mais importantes da UE, o presidente Charles Michel e a presidente da Comissão, Ursula Von der Leyen, fizeram uma visita à fronteira oriental grega na terça-feira (3) para mostrar que a UE está levando a invasão a sério.

“As preocupações gregas são as nossas preocupações. Esta não é apenas uma fronteira grega, é também uma fronteira europeia”, disse Von der Leyen.

Na presença de seu anfitrião, o primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis, Michel e Von der Leyen enviaram um sinal claro a todos os imigrantes que se reuniram no lado turco para entrar na Grécia. Eles enfrentam soldados e agentes gregos que os impedem de entrar. A luta começou novamente.

Escudo europeu

Também para o ditador turco, Recep Tayyip Erdogan, que na sexta-feira (28) decidiu abrir os portões da Turquia para os migrantes a caminho da Europa, as autoridades da UE enviaram uma forte mensagem.

“Manter a ordem na fronteira da Grécia é nossa principal prioridade. A Grécia é um escudo europeu”, disse Von der Leyen.

“Isso não é mais um problema de refugiados. A Turquia está abusando de pessoas desesperadas por sua própria agenda geopolítica”, disse Kyriakos Mitsotakis, primeiro-ministro da Grécia.

Peões de xadrez

O primeiro-ministro Mitsotakis condenou a decisão da Turquia de violar os acordos feitos com a UE em 2016, sobre a recepção de imigrantes na Turquia – em troca de bilhões de euros. O ditador Erdogan abriu sua fronteira com a Grécia porque quer que a UE apoie sua interferência militar em Idlib.

A Turquia está em um conflito perigoso com o presidente sírio Bashar al-Assad e seu aliado russo Vladimir Putin. No noroeste da Síria, onde a Turquia oferece apoio aos rebeldes, 55 soldados turcos já morreram. Na quinta-feira (27), 33 soldados morreram em ataques aéreos em Idlib, a maior perda turca desde que o país entrou na guerra em 2016.

Erdogan quer impedir que seu país seja sugado para a guerra civil síria e agora quer que a UE, ou melhor ainda, a OTAN, se envolva e o ajude. No entanto, a aliança não quer interferir no conflito.

“Para Erdogan, os imigrantes são peões em um tabuleiro de xadrez, armas para pressionar a União Europeia”, disse Kurz, que aumentou seus próprios guardas de fronteira.

 

Comunicado de imprensa

Frontex lança intervenção rápida nas fronteiras externas da Grécia

2020-03-02

O diretor executivo da Frontex concordou hoje em lançar uma rápida intervenção nas fronteiras para ajudar a Grécia a lidar com o grande número de migrantes em suas fronteiras externas. O governo grego pediu oficialmente à Frontex na noite passada que iniciasse uma rápida intervenção nas fronteiras marítimas no mar Egeu.

As intervenções rápidas na fronteira destinam-se a prestar assistência imediata a um Estado-Membro da UE sob pressão urgente e excepcional em sua fronteira externa, especialmente relacionada a um grande número de nacionais de países terceiros que tentam entrar ilegalmente em seu território.

“Dada a situação em rápido desenvolvimento nas fronteiras externas da Grécia com a Turquia, minha decisão é aceitar o lançamento da rápida intervenção nas fronteiras solicitada pela Grécia. Faz parte do mandato da Frontex ajudar um Estado-Membro confrontado com uma situação excepcional, solicitando apoio urgente a oficiais e equipamentos de todos os Estados-Membros da UE e países associados a Schengen ”, afirmou o diretor executivo da Frontex, Fabrice Leggeri.

“A partir do próximo ano, poderemos contar com os primeiros 700 oficiais do Corpo Permanente da Guarda Costeira e de Fronteiras da Europa para fornecer flexibilidade operacional em caso de uma intervenção rápida nas fronteiras. Hoje, dependemos inteiramente dos Estados Membros da UE e dos países associados de Schengen para que as contribuições sejam realizadas neste momento crucial ”, acrescentou.

A Frontex já aumentou a capacidade de vigilância nas fronteiras gregas e está realocando oficiais de outras operações para fornecer assistência imediata.

A Frontex está agora trabalhando em estreita colaboração com a Grécia para finalizar rapidamente o plano operacional para a rápida intervenção nas fronteiras.

Assim que o plano for acordado, a Frontex solicitará a outros Estados-Membros da UE e países associados de Schengen que forneçam imediatamente guardas de fronteira e outros funcionários relevantes do grupo de reação rápida, indicando os perfis e o número de oficiais de cada um.

As intervenções contam com os grupos de reação rápida de 1500 oficiais e equipamentos dos Estados-Membros da UE e dos países associados de Schengen, que são obrigados a fornecer oficiais e funcionários em cinco dias e equipamentos em 10 dias.

“Nossa missão principal é proteger as fronteiras comuns da União Europeia em apoio aos Estados Membros. Na Grécia, contribuímos para esse objetivo, apoiando o registro de migrantes e exames de segurança, que também são importantes para retornos ”, disse Fabrice Leggeri.

  • Com informações FRONTEX, Reuters, AFP, Conexão Polìtica via redação Orbis Defense Europe.




Be the first to comment on "União Europeia envia reforços operacionais para fronteira da Grécia"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*