Veleiro NRP Sagres aberto à visitação no Rio de Janeiro

NPR Sagres em visita à Santos em 2017.

O NRP Sagres já se encontra no Rio de Janeiro, a cidade que viu este navio entrar ao serviço da Marinha Portuguesa.

O navio-escola Sagres esteve fundeado na Baía de Guanabara e atracou hoje no Cais Armazém nº 7, onde irá estar aberto a visitas nos seguintes horários:

  • 11 de fevereiro, das 10h às 12h e das 14h às 18h
  • 12 de fevereiro, das 10h às 12h e das 14h às 16h
  • 13 de fevereiro, das 10h às 12h e das 14h às 18h
  • 14 de fevereiro, das 10h às 12h e das 14h às 18h

História do NRP Sagres

O NE Sagres foi construído nos estaleiros da Blohm & Voss, em Hamburgo, em 1937, para desempenhar funções como navio-escola da Marinha Alemã — onde era chamado Albert Leo Schlageter — juntamente com os seus semelhantes da classe Gorch Fock: o primeiro, que deu o nome à classe; o segundo, ex-Horst Wessel (atual USCGC Eagle); o quarto, Mircea; houve ainda um quinto, o Herbert Norkus, destruído antes de ter sido terminado.

No final da II Guerra Mundial, ele foi capturado pelas forças dos Estados Unidos, sendo vendido à Marinha do Brasil, em 1948, por um valor simbólico de $5000 dólares. No Brasil, ele foi baptizado de Guanabara, servindo como navio-escola até 1961, data em que foi adquirido por Portugal por 150 000 dólares para ser usado em substituição do Sagres II (ex-Rickmer Rickmers). Muito se ficou a dever, o êxito desta compra, à acção empenhada de Pedro Teotónio Pereira, na altura Ministro da Presidência e um grande amante de vela. O navio recebeu o mesmo nome do antecessor, entrando ao serviço da Marinha Portuguesa em 8 de fevereiro de 1962.

Por vezes, o Sagres III é erradamente referido como Sagres II, em virtude do desconhecimento da existência do primeiro navio com este nome. Na realidade, o primeiro Sagres foi uma corveta de madeira, construída em 1858 em Inglaterra. Fundeada no rio Douro, serviu como navio-escola para alunos marinheiros, entre 1882 e 1898.

Ao serviço da marinha portuguesa já deu três voltas ao mundo, a primeira em 1978/1979 e a segunda em 1983/1984. Em 19 de janeiro de 2010, partiu para a terceira volta ao mundo. No total, a viagem tinha uma duração estimada de 339 dias, dos quais 71% a navegar e 29% nos portos. O navio passaria por 27 cidades costeiras, de 19 países diferentes, antes de regressar a Lisboa, em dezembro de 2010. Além das circum-navegações, a Sagres III participou na Regata Colombo (1992), nas comemorações dos 450 anos da chegada dos Portugueses ao Japão (1993) e ainda nas celebrações por ocasião dos 500 anos da Descoberta do Brasil (2000).

O navio-escola Sagres regressou a Lisboa da terceira volta ao mundo no dia 23 de dezembro de 2010, após uma viagem que durou cerca de 11 meses e durante a qual fez escala em 28 portos. Durante esta terceira viagem, percorreu 40 000 milhas e navegou durante 5500 horas. Foi também visitado por cerca de 300 000 pessoas.

A 4 de julho de 1984, ele foi feito Membro-Honorário da Ordem do Infante D. Henrique. A 12 de março de 2012, foi feito Membro-Honorário da Ordem Militar de Cristo. A 24 de outubro de 2017, foi feito Membro-Honorário da Ordem Militar de Avis.

  • Com informações da Marinha Portuguesa via redação Orbis Defense Europe.


Be the first to comment on "Veleiro NRP Sagres aberto à visitação no Rio de Janeiro"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*